Adolescentes sabatinam Japinha sobre universo masculino

agosto 31, 2010

Nesta terça-feira, o Japinha participou do Bate-Papo UOL, onde respondeu à adolescentes no estúdio e também aos internautas sobre assuntos relacionados ao seu livro “Qual é a dele?”.

Momentos antes do chat, o Japinha concedeu uma entrevista ao UOL Estilo Comportamento. Confiram:

Quais são as principais dúvidas das meninas?
Muitas, mas as principais estão relacionadas com namoro. Dentro disso, estão as situações complicadas no sentido de como proceder – desde a roupa a ser usada no primeiro encontro até virgindade.

Quais os cuidados que tem na hora de responder as dúvidas? Afinal você é um ídolo e serve de exemplo a muitos adolescentes.
Eu tive uma educação conservadora, já que venho de família de japoneses. Então tento ser sincero e, além disso, procuro lembrar os conceitos passados pelos meus pais. É como se eu estivesse conversando e “dando uns toques” para uma irmã mais nova.

Quantos anos você tem?
36 anos.

A diferença de idade entre você e o seu público da coluna é uma dificuldade?
Poderia atrapalhar se eu deixasse. Se eu fosse conversar com amigos da mesma idade seria diferente, falaria de outra forma. Mas o que me ajuda é estar em contato constante com a “molecada” por causa da música. Já incorporei o vocabulário deles.

O que seus amigos dizem sobre você ser praticamente um consultor sentimental de meninas?
Alguns sacaneiam um pouco, mas sabem que isso é sério. A revista me chamou para escrever a coluna, em 2005, porque eu dava muitas entrevistas para vários veículos de comunicação e achavam legal o modo de me comunicar esse público. Acho muito bom falar diretamente com as leitoras. Faço isso com carinho.

Há projetos para lançar mais livros?
Não existe um projeto concreto, mas, como este livro está dando retorno, a editora já cobra o segundo. Vamos ver, pois minha prioridade é a música.

Assistam ao vídeo do Bate-Papo com Japinha – TV UOL

Anúncios

Japinha no Bate-Papo UOL

agosto 31, 2010

Nem só das baquetas vive Ricardo Di Roberto, o Japinha, baterista do CPM22. Há cinco anos ele assina uma coluna na revista “Atrevida”, em que dá dicas sobre o universo masculino. Os textos e enquetes acabaram virando o livro “Qual é a Dele? – O que você precisa saber sobre os meninos, na visão de um rock star”, lançado pela Editora Larousse Brasil (R$ 19,90).

Além do sucesso na banda CPM22, que ganhou por três vezes o Prêmio de “Baterista dos Sonhos”, no MTV Video Music Brasil (VMB), Japinha faz a cabeça das meninas respondendo de maneira bem-humorada perguntas sobre o jeito de pensar e agir dos meninos.

Esse também será o mote do Bate-papo UOL com Convidados, em formato especial, que vai receber em seu estúdio cinco fãs da coluna para questionar Japinha ao vivo, nesta terça-feira (31), às 17h. Além disso, a discussão será transmitida pelo Twitter e perguntas com a hashtag #qualadojapinha também podem ser escolhidas para entrar na conversa.

Hoje bate-papo, às 17h: http://tc.batepapo.uol.com.br/convidados/


Atrevida – Agosto

agosto 30, 2010

Você namoraria uma garota que tem filho?

Palavra do Japinha!

Namoraria e, dependendo da época e da circunstância, se o relacionamento fosse muito bom, até me casaria. Olhando pelo lado bom, o filho já viria “pronto”. O mais gostoso, se me conheço, gostando muito de crianças, é que me apegaria a ela facilmente. Sou a favor até da adoção de uma criança. Um ótimo exemplo é a família do Brad Pitt e da Angelina Jolie, com inúmeras crianças que não são deles. Eu sei que a maioria das pessoas se importa com este tipo de condição, mas na minha filosofia de vida, sei que o mais importante é ser feliz. E se outras pessoas criticarem ou torcerem o nariz para uma atitude dessas, não tem problema. O passado de alguém e as suas consequências devem ser vistos realmente como passado. O futuro a Deus pertence e o presente é um presente. Portanto, se existir amor entre um casal e um deles tiver um filho ou uma filha, vale muito a pena eles tentarem investir nessa relação e buscar sua própria felicidade. No final das contas, quem será mais beneficiada é a criança, pois terá ao seu redor um casal que gosta em harmonia e que respeita o passado um do outro. Desta forma, terá um ótimo ambiente, com muito carinho à sua volta. E o casal, que também tem o direito de ser feliz, poderá propiciar uma criação digna para o menor.


Band Esporte Clube

agosto 28, 2010

Neste domingo, o Japinha e o Badauí vão estar no Band Esporte Clube.

Os integrantes do CPM 22 gravaram um especial falando sobre o Centenário do Corinthians.

Então, não percam amanhã! O programa começa às 13h, na BAND.

Foto: Thomas Susemihl


Japinha e Badauí no centenário do Corinthians

agosto 26, 2010

No próximo 1º de setembro, o Sport Club Corinthians Paulista vai comemorar seu centenário. Estão previstas muitas comemorações para celebrar a data.

Dia 31 de agosto acontecerá o Show da Virada, no Vale do Anhangabaú. A festa será gratuita e contará com shows de diversos artistas.

Confira a programação:

19h30 – Abertura, discotecagem Xis

20h – Ronaldo e os Impedidos com participação de Japinha e Badauí

20h30 – Rappin Hood com participação da Negra Li (música composta para o filme)

21h – Baterias integradas das torcidas com participação de Tom Zé (apresentação do Hino do Centenário composto para o livro)

22h30 – Maria Cecília e Rodolfo

23h30 – Cerimonial com o presidente Andrés Sanches e apresentação do tema do Centenário “Eu Sou Guerreiro”, composto para a torcida com Péricles, Thiaguinho, Paula Lima e Ernesto

24h – Queima de fogos e show de encerramento com Exaltasamba

Lembrando que o show é gratuito e o metrô ficará aberto até às 2h para facilitar o acesso dos torcedores.


Programa 2 em 1 – Transamérica

agosto 24, 2010

O 2 em 1 do dia 24 de agosto recebeu Ricardo Japinha, baterista do CPM 22.

Além de músico, Japinha é colunista da revista Atrevida há cinco anos e na 21ª edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo publicou Qual é a Dele?, uma coletânea dos textos da coluna que recebe o mesmo título.

O convidado contou que a ideia de transformar sua coluna em livro surgiu quando a editora pediu autorização para lançar uma edição especial com seus textos e ele sugeriu juntar tudo em um livro.

Questionado se existe amizade entre homem e mulher, Japinha disse que sim, mas que é preciso equilíbrio. “Pode ser que depois role alguma coisa e a amizade mude”, completou.

Os apresentadores quiseram saber o que a menina deve fazer quando o cara só quer levá-la para a cama. O músico falou que a mulher tem de saber diferenciar as intenções dele e que muitas vezes acontece dela estar apaixonada e se entregar. “Se eu tivesse uma irmã mais nova eu aconselharia que ela não deixasse rolar nada no primeiro encontro”, afirmou.

Japinha falou ainda que as mulheres podem sim tomar a iniciativa. “Agora não, mas eu sempre fui muito tímido então quando a menina tomava a iniciativa era um alívio pra mim, mas eu costumo defender que tem de ser o meio termo, nem muito travada nem muito atirada”.

O baterista contou também o que quebra o clima na hora H: “uma roupa íntima inadequada ou falta de higiene”.

Para finalizar, o músico adiantou que o CPM 22 vai lançar um disco novo até o final do ano. “No Natal já deve estar na mão”, concluiu.

Texto e fotos: Jaqueline Pontes – Transamérica


“Garotas não devem sufocar seus namorados”, aconselha Japinha

agosto 23, 2010

Ricardo Japinha, mais conhecido por ser o baterista da banda CPM22, também resolveu se arriscar no mundo das letras e acaba de lançar o livro Qual é a Dele?, que compila vários conselhos para meninas. O músico escreve dicas para adolescentes desde 2005, quando deu início a uma coluna na revista teen Atrevida. De lá para cá, Japinha reparou que havia muitos textos guardados e resolveu separá-los por tema e compilar todos em um livro.

 – Comecei a observar que os textos que escrevia começaram a ficar numerosos no meu HD. Imaginei que poderiam compor uma coletânea ou até mesmo um livro, já que todo mês escrevia um pouco sobre assuntos relacionados entre eles e para o mesmo público.

Em entrevista para o R7, Japinha fala detalhes sobre o seu livro e ainda revela quais são os problemas mais comuns entre as meninas: “traições, mentiras, desculpas descabidas e por aí vai”. Entretanto, o autor de primeira viagem também diz que muitas meninas costumam pegar pesado com os garotos e que elas precisam ser mais compreensíveis com eles.

– Procuro aconselhá-las a compreendê-los quando as desculpas são o futebol, os amigos e outras atividades que são importantes para eles, ou seja, não sufocá-los.

Japinha no lançamento do livro, na Bienal, com a equipe da Atrevida

Leia a entrevista com Japinha na íntegra: 

R7 – Como e quando passou a dar conselhos para garotas?

Japinha – Em 2005, na gravação de um clipe do CPM22, o pessoal da revista Atrevida foi cobrir a filmagem e aproveitaram para me entrevistar. No final, depois de comentarem que gostavam dos toques que eu dava para as garotas e de que os conselhos eram bons para a revista, me perguntaram se eu gostaria de colaborar com uma coluna mensal para eles. Lembro bem que uma vez havia lido, em uma revista concorrente, uma coluna que o Dinho Ouro Preto [vocal do Capital Inicial] fazia, e isso me chamou a atenção de forma positiva. Topei e passei a ser colunista da revista. E estou lá até hoje.

R7 – E por que resolveu lançar o livro?

Japinha – De uns anos para cá, comecei a observar que os textos que escrevia começaram a ficar numerosos no meu HD. Imaginei que poderiam compor uma coletânea ou mesmo um livro, já que todo mês escrevia um pouco sobre assuntos relacionados entre eles, para o mesmo público. Dei a ideia para o pessoal da Editora Escala, que passou a sugestão para a Editora Larousse [já que a Escala só edita revistas] e eles aceitaram minha proposta.

R7 – Quais são as maiores queixas das garotas e os conselhos mais comuns que você dá para elas?

 Japinha – Com certeza, são as queixas relacionadas aos comportamentos habituais dos garotos, que por muitas vezes as desagradam. Por exemplo, traições, mentiras, desculpas descabidas e por aí vai. Procuro aconselhá-las a compreendê-los quando as desculpas são o futebol, os amigos e outras atividades que são importantes para eles, ou seja, não sufocá-los. E ao mesmo tempo, para ficarem espertas, quando o rapaz der muitos sinais de que realmente não está interessado nela.

R7 – O que achou da experiência de lançar um livro? Pretende investir na carreira de escritor?

Japinha – A experiência está sendo muito interessante e gratificante. É bem diferente de lançar um CD, por exemplo, que envolve mais gente em sua produção. O livro é algo mais particular, que depende mais de mim mesmo, individualmente. Quanto à carreira de escritor, ainda não tenho planos definidos, somente possibilidades e convites. Mas com certeza, parece ser algo fascinante.

R7 – Você já é expert em aconselhar meninas, mas tem alguma dica que gostaria de dar para os garotos também?

Japinha – De certa forma, no meu livro, há muitos aconselhamentos indiretos para os garotos também. Em todas as seções, coloquei minhas opiniões, sempre baseadas no que acho correto e no que pode ser benéfico para eles também. Afinal, são opiniões que resultaram da minha própria experiência pessoal, durante a adolescência e juventude. Procurei colocar especialmente ideias e exemplos que já deram certo em minha vida e que podem, de repente, surtir efeitos positivos para os rapazes também. 

O livro já está à venda nos sites da Larousse, Escala, Livraria da Folha e Saraiva. Em breve, nas livrarias.