Atrevida – Julho

julho 29, 2010

“Você ficaria com a BFF da sua ex-namô?

Palavra do Japinha!

Depende do estrago que isso poderá gerar. A princípio, sim, porque acho que todos são livres, ainda mais quando estamos solteiros. Mas, ao mesmo tempo, somos responsáveis pelas nossas atitudes e pelas consequências. Portanto, se ficar com a melhor amiga da ex-namorada puder causar um mal-estar muito grande, acho melhor evitar. E, normalmente, esse tipo de coisa acontece. Tenho uma teoria que podemos fazer o que bem entendermos, contanto que isso não faça mal pra ninguém. E a partir do momento em que sabemos que vai fazer mal, ainda mais pra alguém para quem temos carinho ou consideração, é melhor não tomar tal atitude. Acontece muito e já ouvi até garotas dizendo isso, de ter certa vontade ou simpatia pelos amigos (ou amigas) de quem namoramos. É explicável, já que são pessoas do mesmo convívio e com características semelhantes, por serem amigas. Lembro até da frase de uma garota que conheço: “uma das coisas boas de terminar um namoro é poder ficar com aquele amigo dele que sempre tive vontade e nunca pude…” Isso é um pouco triste, porque desvaloriza quem você namora, mas infelizmente acontece. Aquele ditado “Mulher de amigo meu é homem”, ou melhor, “Amiga de ex-mulher minha é homem” não parece ser muito respeitado depois que acaba um namoro.


Japinha na instalação “Brazil + Japan = Tulio”

julho 27, 2010

Recentemente, a Nike de Tóquio promoveu uma instalação chamada “Brazil + Japan = Tulio”, que mostra um pouco da vida do brasileiro Marcus Tulio Tanaka, zagueiro da seleção japonesa de futebol.

O projeto vai além e mostra também depoimentos de outros descendentes japoneses aqui do Brasil, como o Japinha ( CPM 22), o estilista Daniel Ueda, a cantora Lovefoxxx (CSS) e o artista plástico Titi Freak.

O Japinha fala sobre essa mistura de raças, futbeol, sua paixão pelo Corinthians, entre outras coisas. Ele aparece nas partes 2 e 3.

Confiram nos vídeos abaixo:


Japinha toca com o Hateen

julho 26, 2010

No último sábado, dia 24, o Hateen fez um show em São Paulo, no Hangar 110 – local consagrado do cenário do rock independente.

Com um set list todo em inglês, a banda relembrou os velhos tempos e alucinou o público, que lotava a casa.

Para deixar o show ainda mais especial, o Hateen chamou alguns dos ex-integrantes da banda para tocarem uma música.

Assistam ao vídeo de “Danger Drive” com a participação do Japinha e Boris.


Entrevista – Revista Brasil

julho 23, 2010

No final do ano passado, o CPM 22 esteve na Europa para fazer shows em Portugal e na Inglaterra.

Os brasileiros que moram fora do país tiveram a oportunidade de matar as saudades da banda. Isso também gerou um interesse maior e contribuiu pra conhecerem um pouco mais dos integrantes.

Foi assim que a “Revista Brasil”, de Portugal, fez um perfil do Japinha, já que não é sempre que os bateristas chamam a atenção.

Confiram alguns trechos da entrevista:

Geralmente o vocalista da banda é o mais assediado pelo público, quer pela mídia. No caso do CPM 22, as atenções se voltam toda para você, o baterista. Isso se deve a ser o menino bonito da banda ou a ser corinthiano (risos)?

Obrigado pelo bonito (risos). Na verdade, acho que eu e o Badauí dividimos bem as atenções. Acho que isso acontece porque eu sempre fui muito exigido na hora das entrevistas. Os caras da minha banda sempre me “empurram” pra falar, especialmente nas questões mais difícies. Acho que o fato de ser um dos únicos japoneses no cenário maior do rock nacional me ajuda a ter mais exposição também. O Corinthians ajuda também, com certeza.

Nota-se que hoje em dia que os músicos fazem da Internet uma grande aliada, ajudando na divulgação do seu trabalho. É o seu caso?

Utilizo bastante o Twitter, os fotologs, as redes sociais, como Facebook, o MySpace, etc. Acho que são boas ferramentas para um artista. Atualmente é uma mídia tão forte quanto a televisão, a rádio, etc.

Como é fazer rock no país do samba?

O fato de ser algo inusitado tem um certo requinte. É lógico que não temos a mesma aceitação ao nível popular, que as bandas de samba, axé ou forró. Mas somos felizes assim, e conseguimos viver de música e até que bem (mesmo não ganhando rios de dinheiro nem sendo milionários com isso).

No final do ano passado fizeram shows em Portugal e na Inglaterra. Como foi essa experiência? Pretendem continuar divulgando o rock brasileiro mundo afora?

Foram experiências muito legais mesmo. Tocar pela primeira vez na Europa foi algo bem enriquecedor pra mim, e pra banda. E sim, pretendemos continuar tocando no exterior. Já fomos aos EUA, Japão e Europa. Há muitos brasileiros que querem ver nosso show, então temos que aproveitar essa vontade e divulgarmos mais ainda nosso trabalho. Nosso próximo passo é a América Latina.


15 minutos com… Japinha

julho 19, 2010

A revista Atrevida selecionou uma fã do Japinha pra passar 15 minutos com ele.

Marina Garcia, de 16 anos e fã do CPM 22 desde os 11, foi a escolhida.

Ela foi ao estúdio onde a banda está gravando o novo álbum e lá, ao lado do Japinha, ficou sabendo como funciona a produção de um disco, conversou, pediu autógrafos, tirou fotos e fez até uma entrevista com o ídolo.

Um sonho pra qualquer fã!

A reportagem está na Atrevida de julho. Vale a pena conferir!


Quem é o roqueiro mais bonitão do Brasil?

julho 15, 2010

O mundo do rock está cheio de gatinhos, não é?

Por isso, o Portal R 7 está fazendo uma enquete e quer saber qual o roqueiro brasileiro mais bonitão.

O nosso querido baterista do CPM 22 está entre os selecionados, então não deixem de votar no Japinha!

É só clicar no nome do Japinha e digitar o código pedido. Dá pra votar quantas vezes quiser.

VOTAÇÃO – Portal R 7


Vídeo – CQC no lançamento livro Corinthians

julho 6, 2010

No último dia 30 de junho, foi lançado o livro “Corinthians: 100 anos de paixão”.

A obra de Newton Cesar e Marco Piovan conta a história do Timão por meio de fotografias, crônicas e entrevistas. O livro possui fotos exclusivas de corinthianos famosos como o rapper Xis, Marília Gabriela, Caca Rosset, Negra Li, Badauí e Japinha (CPM 22), entre muitos outros.

A festa de lançamento do livro ocorreu na livraria FNAC, em São Paulo.

O CQC esteve por lá e entrevistou o Japinha.