Japinha participará da 5a. Corrida Oral-B

janeiro 29, 2010

Roqueiro, músico e corredor. Ricardo Di Roberto, o Japinha, integrante do CPM 22 já participou de várias corridas realizadas pela Corpore.

Na Meia Maratona Internacional Corpore de 2009, foi Guia Voluntário por um dia acompanhando um deficiente visual pelos 5,5km da prova.

Na manhã do dia 29 de janeiro mostrou mais uma vez que a associação roqueiro e vida desregrada não está com nada. Passou na sede da Corpore para retirar camiseta, número de peito e chip de cronometragem, parte da sua preparação para a 5ª Corrida Oral-B que será realizada no domingo, 31.

Fonte: Corpore

Anúncios

Verão sem praia não é verão

janeiro 28, 2010

Completando 10 anos de estrada como baterista do CPM 22, o Japinha dá dicas para aproveitar o litoral sul de São Paulo.

Qual o lugar que vc mais gostou de conhecer no verão?
R: A praia de Itamambuca, em Ubatuba.

O que fazia por lá, qual era a programação?
R: Como fiquei em uma casa a poucos metros da praia, acordava cedo, caminhava, ou corria. Tomava café da manhã, fazia uma sessão de surf (já que a praia é bem propícia para a prática do esporte) e depois, consumia muitas frutas. Pra fugir do sol do meio-dia, ficava na casa curtindo um som, jogando vídeo-game, preparando o almoço com a galera. Também arrumava a casa!! Depois, tirava um cochilo, voltava pra praia, e até o final da tarde jogávamos frescobol, praticava mais surf, e às vezes até um futebol na areia. Em alguns dias, no fim de tarde, principalmente quando chovia, dava um rolê de bike pelo condomínio (boa parte da praia é dentro de um condomínio) até uma cachoeira que tinha lá perto (dez minutos de bicicleta). À noite, ia dar uma volta no centro da cidade, tomar sorvete, jogar fliperama, comer em algum restaurante (pizzaria ou japonês). Às vezes rolavam uns shows e a gente dava um jeito de ir.

Com quem foi?
R: Fui com uns amigos, mais ou menos 10 pessoas.

Para quem recomenda?
R: Pra qualquer pessoa que goste de praia, sem muito agito, mas com boa qualidade de água, de ondas, um bom contato com a natureza. Pra galera jovem, talvez tenha mais a ver.

Quanto tempo passou no lugar?
R: Uns dez dias.

Como ficou sabendo do lugar?
R: Já tinha passado umas tardes por lá. Um ex-namorado de uma prima minha tem uma casa lá e nos convidava pra andar de Jet-ski com ele. Era bem legal.

Ja voltou para lá depois? Estava melhor ou pior?
R: Ainda não. Mas acho difícil ter piorado, ou melhorado. Isso tem uns 3 anos.

Onde ficou hospedado?
R: Aluguei uma casa. Recomendo. Mas o lugar também tem altas pousadas charmosas.

Passeios, programas, lojinhas, dicas…?
R: Dentro do condomínio da praia, tem uns restaurantes e bares bons, inclusive um japa que eu fui e gostei. No Centro, tem boas lojas de roupas, artesanato e surfe. Há também uma feira de rua, com muita coisa bacana. Fomos em uns barezinhos bacanas ali também, não me recordo o nome. Pegando a estrada mais uma ou duas horas, você chega em Parati, que é bem bonita pra se visitar também.
Recomendo passear pelas praias (tem mais de 40, se não me engano) e desfrutar das belezas naturais, que são contagiantes. De preferência, escutando Men at Work, acho que combina bem!

Fonte: Terra – Verão 2010


Atrevida – janeiro 2010

janeiro 26, 2010

Você ficaria com uma garota, se soubesse que ela é BV?

Palavra do Japinha!

Sim! Não acho certo ter preconceito com alguém que nunca experimentou beijar. Um dia eu já fui assim, também. Você, que está lendo, já foi, ou ainda é; seus amigos, todo mundo… Ainda bem que alguém me salvou dessa situação, e não viu problema nisso! Acho que o único lado ruim é que o beijo pode não ser dos melhores, no sentido técnico, mas, em outros, vai ser muito legal. Pra começar, eu ficaria marcado na vida da garota, pra sempre! É muito bom poder passar uma experiência pra alguém que confia em você. Sem contar que, apesar de uma ou outra dificuldade no começo do beijo, o momento dessa “primeira vez” iria gerar tanta emoção, tanta magia, que todo ambiente ficaria contagiado. Esse tipo de sensação passa para a outra pessoa, e é algo tão bom!!! Outra coisa boa é que, provavelmente, o rapaz que der o primeiro beijo na garota vai ter uma boa referência por parte dela. Isto é, se ele quiser, vai poder manter o relacionamento por um bom tempo. Dependendo da garota, vale muito a pena. Pra concluir: penso que, se eu estiver interessado na pessoa, não importa se ela nunca beijou, se é rica, pobre, feia, linda, gorda ou estrangeira. O que vale é ir atrás de quem você quer.


Show em João Pessoa

janeiro 22, 2010

No último final de semana, o CPM 22 foi uma das bandas que tocou no encerramento do Fest Verão Paraíba.

O festival reuniu rock, axé, forró, pop. A alegria contagiou o público de 20 mil pessoas.

Mesmo tocando debaixo de muita chuva, o CPM 22 não deixou ninguém parado. A animação tomou conta da galera, que cantava as músicas com a banda.

Fotos: Anderson Silva


Por isso eu corro: Japinha

janeiro 8, 2010

Num momento retrospectiva, vamos relembrar o Japinha no programa Oxigênio TV.

A matéria foi exibida no final do ano passado no canal Band Sports e que não viu, agora tem a chance de ver.

O Japinha conta sobre sua paixão pela corrida e como adquiriu este hábito de correr. Ele até já participou de uma corrida de São Silvestre.

Assistam, que vale a pena!

POR ISSO EU CORRO: JAPINHA


Vídeo – Show da Virada

janeiro 6, 2010

E 2010 não poderia ter começado melhor!

O CPM 22 tocou no já tradicional “Show da Virada”, da Rede Globo.

Quem não estava em casa na passagem de ano, agora pode conferir como foi a apresentação da banda.

Feliz ano novo, galera!